Unidades Sócio-Ocupacionais

Rádio Aurora – A Outra Voz
Coordenador: Dr. Nuno Faleiro

Fundada a 6 de Março de 2009 no Hospital Miguel Bombarda, a Rádio Aurora – A Outra Voz é o primeiro programa de rádio português produzido e realizado por pessoas com um diagnóstico psiquiátrico que tem como objetivo principal contribuir para a redução do estigma e da discriminação.

A Rádio Aurora-A Outra Voz constitui-se como um dispositivo de intervenção comunitária que pretende colaborar na reabilitação de todas as pessoas afetadas na sua Saúde Mental e na habilitação de uma Comunidade que se pretende verdadeiramente inclusiva.

Fotografia de @RG Rui Gaudêncio  2012 

A Rádio Aurora – A Outra Voz afirma-se como um projeto ético, um lugar onde a liberdade de expressão, a cidadania viva, o pensamento critico e criativo se constituem como forças motrizes de um programa que procura continuar a transformar mentalidades interrogando o mundo acelerado em que vivemos, as suas loucuras e normalidades.

Atualmente a Rádio Aurora – A Outra Voz é transmitida em 17 estações de rádio: do Minho ao Algarve, do interior ao litoral, do meio rural ao meio urbano, do continente às regiões autónomas, das rádios universitárias às rádios locais, das rádios Web às rádios FM. Salienta-se a transmissão na Rádio Amália ao domingos pelas 11h00 e também tem emissão semanal na Rádio Antena 1, à 01h35 na madrugada de 4ªa para 5ª feira.

Para ouvir os programas em arquivo carregue para aceder:

Rádio Aurora – Antena 1

Rádio Aurora – A Outra Voz

Rádio Aurora - A Outra Voz

 

 

Grupo de Teatro Terapêutico (GTT)

Localização: Salão Nobre
Contacto: 217 917 000 Ext.1220

O Grupo de Teatro Terapêutico (GTT) do Hospital Júlio de Matos (atual CHPL) surge em 1968 de um encontro entre técnicos de saúde mental do Hospital e doentes do Pavilhão de Homens, que resolveram levar avante uma experiência de teatro, possivelmente ocasional, mas que se mantém em funcionamento desde então, através do ator, encenador e dramaturgo João Silva, um dos fundadores do grupo, depois projeto.
O GTT desenvolve uma atividade de teatro específica na abordagem à doença mental, pois “obriga”, promove, nos atores e demais participantes, a disciplina e regras do teatro, assim como, simultaneamente, aplica as regras terapêuticas.
Os elencos são constituídos por atores com a experiência da doença mental e, quando necessário e adequado, por outros sem tal experiência, que podem ser profissionais de teatro, técnicos de saúde, estudantes ou voluntários de áreas diversas.
A aproximação, diversidade, tem sido benéfica para uns e consolidante para outros. Cada peça de teatro é trabalhada no GTT em criatividade e idêntico profissionalismo como as demais apresentadas por uma outra companhia, mesmo profissional, mas nunca se descurando o lado terapêutico.
O projeto GTT, pioneiro, é simultaneamente uma terapia e uma libertação pela Arte, o teatro.

João Silva, ator, dramaturgo, encenador, fundador do GTT.

A estreia do GTT e de João Silva, como encenador, ocorreu em Dezembro de 1968, com uma peça de Eugene O’Neill, Óleo. Foi o encenador do GTT até 2018, ano no qual estreia a peça Casulo.

Saiba mais:

No site

No facebook

No twitter

P31

Localização: Pavilhão 31
Contacto: 217 917 000 Ext.:1353
Horário de Funcionamento: Dias úteis de 2ª a 6ª das 10h00 às 16h00
Coordenador: Sandro Resende (P28)

Obras de Eduardo Souto de Moura, Miguel Palma e do atelier de artes plásticas do CHPL @Fotografia d10photo David Pereira

O Pavilhão 31 (P31)  é um espaço no qual se promove o desenvolvimento artístico no máximo das suas vertentes, reabilitando mentalidade(s) e apostando numa ação de responsabilidade social direcionada para a doença mental. Tem como premissa a partilha entre artistas conceituados e artistas que desenvolvem o seu trabalho na Unidade de Terapia Ocupacional e é um espaço de expressão artística e reabilitação.

Há mais de uma década que o P31 tem aliado artistas consagrados, nacional e internacionalmente – como Pedro Cabrita Reis, Jorge Molder, Souto Moura, Jeff Koons, Albert Watson – com o trabalho desenvolvido no Ateliê de Artes do CHPL, através de exposições conjuntas.
Inaugurado em Março de 2012, o P31 tem tido um enorme reconhecimento, tendo já merecido coberturas jornalísticas em órgãos de comunicação internacionais tão conceituados quanto os espanhóis El País, El Mundo e TVE, a norte-americana Forbes, e o britânico The Guardian.

Muro Azul – O Rosto

Para celebrar o Dia Mundial da Saúde Mental a 10 de Outubro de 2012, o CHPL em parceria com a GAU (Galeria de Arte Urbana) e sob a direção artística do P28 (Associação de Desenvolvimento Criativo e Artístico), organizou um concurso aberto a artistas nacionais e internacionais para a pintura dos quase 2 KM de muro que rodeia o Centro Hospitalar.
O mote para esta intervenção coletiva foi O Rosto, que os artistas teriam de pintar sobre o azul, cor do CHPL.
Foram cerca de 77 pinturas por 61 criadores, em várias fases de trabalho e com a colaboração dos artistas do Ateliê de Artes Plásticas que pode ver aqui. Novos trabalhos vão surgindo no Muro, no âmbito da própria dinâmica da arte de rua.

Exposições P31:

Exposições P31

 

 

 

 

 

Rádio Aurora – A Outra Voz
Coordenador: Dr. Nuno Faleiro

Fundada a 6 de Março de 2009 no Hospital Miguel Bombarda, a Rádio Aurora – A Outra Voz é o primeiro programa de rádio português produzido e realizado por pessoas com um diagnóstico psiquiátrico que tem como objetivo principal contribuir para a redução do estigma e da discriminação.

A Rádio Aurora-A Outra Voz constitui-se como um dispositivo de intervenção comunitária que pretende colaborar na reabilitação de todas as pessoas afetadas na sua Saúde Mental e na habilitação de uma Comunidade que se pretende verdadeiramente inclusiva.

Fotografia de @RG Rui Gaudêncio  2012 

A Rádio Aurora – A Outra Voz afirma-se como um projeto ético, um lugar onde a liberdade de expressão, a cidadania viva, o pensamento critico e criativo se constituem como forças motrizes de um programa que procura continuar a transformar mentalidades interrogando o mundo acelerado em que vivemos, as suas loucuras e normalidades.

Atualmente a Rádio Aurora – A Outra Voz é transmitida em 17 estações de rádio: do Minho ao Algarve, do interior ao litoral, do meio rural ao meio urbano, do continente às regiões autónomas, das rádios universitárias às rádios locais, das rádios Web às rádios FM. Salienta-se a transmissão na Rádio Amália ao domingos pelas 11h00 e também tem emissão semanal na Rádio Antena 1, à 01h35 na madrugada de 4ªa para 5ª feira.

Para ouvir os programas em arquivo carregue para aceder:

Rádio Aurora – Antena 1

Rádio Aurora – A Outra Voz

Rádio Aurora - A Outra Voz

 

 

Núcleo de Dança Terapia (NDT) 

muDança “Do Processo à Performance”

Coordenadora: Liliane Viegas
Terapeuta Ocupacional: Inês Lima

A Dança Movimento Terapia (DMT) é uma psicoterapia corporal que utiliza o movimento como principal ferramenta para facilitar a comunicação intra e interpessoal, proporcionando um espaço aberto para a expressão corporal, mental e emocional quando a palavra não é suficiente.

A quem se destina:
A todos os utentes do CHPL que tenham capacidade de estar em grupo e que tenham motivação para integrar este projeto terapêutico/artístico de continuidade, com objetivo de partilhar o fruto do processo com a comunidade.

Como aceder:
Com uma proposta de encaminhamento feita pelo médico assistente do CHPL à Unidade de Terapia Ocupacional.

Quando surgiu no CHPL?
Esta abordagem foi acolhida pelo Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa em 2003 como intervenção terapêutica complementar em várias equipas do Serviço de Reabilitação, Internamento, Serviço Comunitário e Ambulatório.

Como surgiu o projeto Núcleo de Dança Terapia (NDT) – muDança?
Foi em 2008 que surgiu o desafio de apresentar uma performance no Palácio de Galveias, com um grupo de utentes residentes e externos da Unidade de Terapia Ocupacional do Serviço de Reabilitação do CHPL.
Esta experiência foi extremamente gratificante para todos os intervenientes, fomentando o desejo de dar continuidade ao projeto e dando origem à criação do Núcleo Dança Terapia – atualmente denominado muDança “Do Processo à Performance”. Ao longo dos últimos 12 anos o grupo tem vindo a apresentar diversas performances quer na instituição, quer na comunidade.

 

Apresentações do NDT: